Energia

Eletrobras deve investir R$1 bilhão na Celg em cinco anos

Postado em: 25/04/2012

Estatal federal assina confirmação de acordo para assumir 51% da elétrica goiana

A Eletrobras assinou nesta terça-feira (24/04) a confirmação de um acordo para assumir o controle acionário da Celg D – distribuidora de energia elétrica de Goiás. Segundo estimativa do governador do Estado, Marconi Perillo, a holding federal deverá investir até R$1 bilhão na companhia nos próximos cinco anos. O acordo foi assinado em evento no Ministério de Minas e Energia e contou com a participação do ministro Edison Lobão e do presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto.

O saneamento da empresa, entretanto, vai significar energia mais cara ao consumidor goiano. De acordo com Perillo, a negociação vai permitir que a Celg regularize sua situação financeira junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e, assim, volte a aplicar reajustes tarifários. Por causa da inadimplência, ela estava impedida de reajustar suas tarifas. O efeito deve ser uma elevação de cerca de 13% nas contas.

“Também estamos planejando a construção de 37 novas subestações, sendo quatro delas nos próximos 12 meses. De imediato, vamos atender à cidade de Trindade e depois às regiões de Caldas Novas e Luziânia, no entorno do Distrito Federal”, afirmou o governador.

A participação da Eletrobras no processo de saneamento financeiro da Celg foi anunciada no final do ano passado, com a assinatura de protocolo de intenções que garantia a participação majoritária na estatal goiana.

O protocolo já previa o controle da Eletrobras por meio da aquisição de 51% das ações ordinárias do capital da companhia. O governo de Goiás, que detinha cerca de 99% das ações, ficará com os outros 49%.

Segundo Fernando Navarrete, presidente da CelgPar, a finalização do negócio pode demandar um certo tempo. Isso porque, mesmo com o acordo estabelecido, a holding CelgPar tem de comprar as ações que não pertencem ao Estado, e que são minoria, para integralizar os 51% que serão repassados à Eletrobrás. Para isso, será preciso ter a anuência de todos os acionistas, mas o executivo não acredita em dificuldades no processo.

A Celg agora espera a liberação de duas parcelas restantes de um empréstimo total de R$3,5 bilhões assinado com a Caixa Econômica Federal. O valor da próxima parcela, de R$1,3 bilhão, será enviado ao Tesouro Estadual e, segundo o governador Marconi Perillo, repassado à Celg-D “nos próximos quatro dias”.

Fonte: Agência Brasil

 

Leia também